Blog da Brasil Brokers - Tudo sobre imóveis, arquitetura e decoração

Postado por <brasilbrokers>
22 maio

Moderna, sofisticada e elegante: a decoração preta é uma inspiração. Com as dicas certas e um toque de bom senso, é possível aproveitar todas as qualidades associadas a cor, reproduzindo uma decoração autêntica e ousada na medida certa.

Já pensou em utilizar uma decoração preta, mas não sabe como? Essa é a sua chance de inovar e adotar essa tendência em home decor. Com soluções simples e inteligentes, é possível deixar de lado a insegurança e utilizar o preto em decorações sofisticadas.

sala com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Decoração preta: conheça as formas de adotar essa tendência na sua casa

Caso você seja fã da tendência e ame preto, provavelmente você já sabe que a cor está associada a expressões como elegância, sofisticação, mistério, confiança e poder.

Por outro lado, se a decoração preta é uma informação nova, vamos apresentar inspirações para que você se sinta confortável em inovar e garantir um toque de sofisticação na sua decoração.

Em pequenos detalhes, em móveis, na parede ou por todo o ambiente, o preto vai ser um diferencial. Aproveite as dicas para ousar com sofisticação!

Parede preta

Uma parede preta parece muita ousadia para você? De fato, demanda certa confiança  incrementar o ambiente com uma cor escura. Contudo, selecionamos inspirações nas quais a nuance escura na parede é o foco da decoração, sem “pesar” no ambiente. Pelo contrário, a parede preta parece trazer energia ao cômodo.

decoração dos comodos da casa

Reprodução: Pinterest

A parede preta em uma única parte do cômodo, combinada com elementos coloridos, garante um resultado muito interessante. Lance mão de um quadro e, a partir da sua paleta de cores, adicione outras peças de mesma tonalidade.

área com decoração preta

Reprodução: Pinterest

O preto é uma ótima escolha de cor para ambientes mais sóbrios ou que demandem concentração, como escritórios e espaços de leitura. O couro é um ótimo elemento para compor esse ambiente.

Cozinha preta

A cozinha preta é o sonho de consumo de algumas pessoas. Nesse ambiente, é possível arriscar e usar o preto no maior número de elementos do ambiente, sem que pareça demais, sabe?

Nos azulejos, como textura nas paredes, nos armários ou em pequenos utensílios e itens de decoração, a cozinha preta é garantia de um ambiente moderno e sofisticado.

cozinha com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Uma cozinha preta e branca, com elementos geométricos, além de tendência, é pura elegância. Além disso, é possível combinar uma infinidade de itens, sem perder a harmonia entres as peças.

área da cozinha com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Dá para perceber como, em pequenos detalhes, é possível ter uma cozinha preta, ainda iluminada, e com um ar contemporâneo?

Armário preto

O armário preto é uma forma de trazer a decoração preta com estilo e sofisticação, mantendo outras características do ambiente. Confira:

armário com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Opte por usar um armário preto na decoração de um escritório para conferir estabilidade e segurança ao ambiente. Combine com elementos clássicos e garanta um resultado autêntico.

Sofá preto

O sofá também é uma boa dica para montar um ambiente com decoração preta com um ar clássico e poderoso.

sala de estar com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Aposte na combinação do sofá preto com outros elementos que possuam a cor, por exemplo: além das almofadas, invista em quadros e molduras que carreguem o tom e conversem entre si.

sofá preto na decoração

Reprodução: Pinterest

Nessa sala, o sofá preto caiu como uma luva! Também é possível identificar que a decoração preta e rosa é uma tendência que funciona: o ambiente fica com um ar romântico e atual ao mesmo tempo.

Banheiro preto

Nesse ambiente, a decoração preta remete ao luxo. Inspire-se e tenha um espaço de banho que emana poder e sofisticação.

banheiro com decoração preta

Reprodução: Pinterest

O banheiro preto é a solução para quem não quer fugir do óbvio com classe. A composição pede atenção nas texturas e os azulejos são uma ótima ferramenta para isso!

área do banheiro com decoração preta

Reprodução: Pinterest

O banheiro preto é a prova de que, embora o cômodo seja tachado como “sem graça”, é possível investir na decoração e obter um resultado surpreendente.

Decoração preta e branca

P&B é um clássico: a decoração preta e branca aparece nos mais diversos estilos e inspirações. Nota-se que todos os cômodos recebem bem essa combinação e, com a tendência de decoração minimalista em alta, essa é uma opção ainda mais visada. Repare como essa combinação garante a harmonia do ambiente.

decoração preta na cozinha

Reprodução: Pinterest

A decoração preta e branca é sucesso: o branco confere ainda mais destaque aos itens em preto.

banheiro com decoração preta

Reprodução: Pinterest

Veja como a combinação funciona, até mesmo quando aplicada a itens isolados, como é o caso da pia representada na imagem. É pura sofisticação!

Decoração preta: aposte já!

Cor de atitude ligada ao rock’n’roll e à rebeldia, o preto na decoração tem uma informação ousada, porém muito clássica. O poder e a sofisticação que o preto confere à decoração dos ambientes é inquestionável.

Quer inovar e trazer modernidade para um ambiente? Faça a aposta certeira na tendência da decoração preta e garanta ambientes cheios de requinte e sofisticação!

Postado por <brasilbrokers>
22 maio

Você sabe quais tipos de condomínio existem? Essa pode ser uma informação que passa despercebida, mas faz a diferença quando se pensa em fazer negócios imobiliários – compra, venda ou aluguel de imóveis.

sacadas de apartamento suspensas

Reprodução: Pinterest

São tantas informações e especificidades que fica fácil se perder nos temas do mercado e errar na hora da diferenciação dos termos.

Por isso, separamos, de forma simples e didática, informações sobre os tipos de condomínio existentes para solucionar essa questão.

Com essas informações, você fica preparado para decidir sobre seus negócios imobiliários e usar os termos corretos de cada segmento.

Afinal, quando o assunto é condomínio, qual a primeira imagem que aparece em sua mente?

Se você pensou na imagem de um prédio, saiba que esse é o exemplo mais conhecido e associado ao tema. Contudo, não é o único!

Assim, o prédio (condomínio edilício) costuma ser o mais próximo e comum do dia a dia das pessoas. Diferentemente de quem mora em casas, quem reside em prédio não tem a opção de pertencer ou não a um condomínio por questões legais. Assim, torna-se popular a associação de um prédio a condomínio.

Confira o que separamos sobre o tema: saiba mais tipos de condomínio e conheça um pouco mais sobre os termos usados no mercado, a fim de diferenciá-los.

Condomínio vertical e horizontal: será que você sabe diferenciar os modelos de construção condominial?

Apesar da aparente facilidade na assimilação e de conhecimento intuitivo, alguns termos são técnicos e vindos do meio jurídico. Com isso, certas nomenclaturas podem ser confusas ou, até mesmo, levar ao erro.

Sabe diferenciar condomínio horizontal e condomínio vertical? E o condomínio edilício, você conhece?

Assim, sem mais delongas, vamos esclarecer os tipos de condomínio, conforme a sua elaboração, para que você fique apto a decidir, com maior clareza, qual formato atende às suas necessidades.

Condomínio horizontal

Se você pensou que esse é aquele tipo de condomínio muito comum nas cidades do interior, onde há uma reunião de casas, então você… errou!

 

condomínio de apartamentos horizontal

Reprodução: Pinterest

O condomínio horizontal é aquele em que as unidades privativas, parcelas da propriedade pertencentes aos condôminos, estão dispostas horizontalmente: uma acima da outra.

Portanto, o termo correto para chamar os condomínios que possuem a construção de um prédio, segundo o Código Civil brasileiro (regulador desse tipo de relação), é condomínio horizontal.

Deu um nó na cabeça? Pode parecer estranho, mas, em razão dos termos aplicados serem provenientes da área jurídica, é necessário certo esclarecimento para não falar bobagem, não é?

Condomínio vertical

Agora ficou mais fácil, não é mesmo? Se o condomínio horizontal é aquele que conhecemos como prédio, por consequência o condomínio vertical é aquele constituído por casas. Isso mesmo!

condomínio de casas similares

Reprodução: Pinterest

O condomínio vertical é aquele em que as frações condominiais são divididas de forma vertical e, portanto, paralelas uma à outra.

Assim, se você mora ou pretende morar em um condomínio residencial composto por casas, saiba que o termo correto para esse caso é condomínio vertical.

Condomínio edilício: saiba o significado correto do termo

Você já ouviu falar de condomínio edilício, mas não sabe o que significa?

aglomerado de condomínios de edifício

Reprodução: Pinterest

Os condomínios são regulados por disposições legais (aquelas advindas da lei) e disposições convencionais (aquelas originadas num acordo de vontade entre as partes – o contrato).

A regulação condominial está presente no Código Civil de 2002 e apresenta termos técnicos que são incorporados e utilizados no mercado imobiliário.

Muitas vezes, os termos jurídicos são reproduzidos de forma incorreta e causam confusão.

Assim, conheça o condomínio edilício e saiba diferenciá-lo de seu par, dentro do mesmo gênero de condomínios.

Apesar da falsa cognição causada pela nomenclatura, o condomínio edilício nada tem a ver com um condomínio exclusivamente de prédios ou edifícios (condomínio horizontal). Contudo, o termo também pode ser destinado para denominar um condomínio de prédios, assim como o de casas (condomínio vertical).

O condomínio edilício, em termos jurídicos, é uma espécie de condomínio: diferencia-se pela existência de áreas privativas, além das áreas comuns no condomínio. Ou seja, existem frações ideais da propriedade que correspondem somente a um condômino, e não ao todo.

Ao passo que, sem essas características, a espécie de condomínio, assim tratada pelo Código Civil, é chamada de Condomínio Geral:  constituído somente por áreas comuns divididas entre os condôminos. Nesse caso, não haveria essa separação de propriedade, sendo que todos os condôminos possuiriam direito à integralidade da propriedade. O Condomínio Geral possui outros regramentos e é tratado de forma apartada.

Quanto à destinação do imóvel: entenda os tipos de condomínio conforme a sua utilização

Fator essencial em qualquer negócio imobiliário, é necessário ter com clareza qual é o objetivo da realização do negócio.

Assim, uma forma de garantir um bom negócio é identificar as suas necessidades e o que você espera de retorno com a transação.

Para tanto, conhecer os tipos de condomínio é primordial para encontrar o imóvel ideal para você ou para a sua empresa.

Por isso, separamos os tipos de condomínio para pontuar as vantagens negociais de cada termo.

Condomínio residencial

casa em condomínio residencial

Reprodução: Pinterest

Destinado à moradia, o condomínio residencial está pautado nas leis do Código Civil, contando com direitos de vizinhança, além das disposições convencionadas entre os próprios condôminos.

Isso porque a questão de existirem áreas comuns entre os condôminos demanda certa regulação para manutenção da harmonia e do bem-estar.

Além disso, os condomínios residenciais são procurados por, normalmente, contar com boa estrutura de segurança: câmeras, cercas elétricas, sensores, portarias monitoradas e agentes especializados.

Quanto aos tipos de condomínio residencial, existem opções para todos os gostos e bolsos.

Desde os loteamentos fechados mais simples, com casas arquitetonicamente idênticas, até condomínios de luxo, com propriedades imensas e que, na área comum, contam com campos de golfe, helipontos e spa.

Por outro lado, nas grandes cidades são mais comuns os condomínios compostos por apartamentos.

Assim, os apartamentos são soluções espaciais e financeiras para grandes centros, onde o preço do metro quadrado é de valor superior à possibilidade de muitas pessoas.

Entretanto, com novos perfis e uma nova situação econômica do país, também surgiram novos tipos de empreendimento, que têm sido muito prósperos.

O diferencial está acerca das vantagens e dos benefícios incorporados ao condomínio: são playgrounds, espaços gourmet, piscinas e até mesmo academias muito tecnológicas – tudo nas áreas comuns.

Em contrapartida, se você busca tranquilidade, curte a natureza e gosta muito de espaço, a sua opção ideal está nos condomínios residenciais ou de chácaras.

Esses imóveis, localizados em regiões serranas ou interioranas, estão aptos a proporcionar o melhor que uma vida no campo pode oferecer: tranquilidade, paisagem naturalmente bonita, muito verde e, se der sorte, até o canto dos pássaros no fim da tarde.

casa com piscina

Reprodução: Pinterest

Os condomínios de chácaras também são uma ótima opção de veraneio para quem quer desestressar nos fins de semana.

Seja qual for o tipo de condomínio, a dica é avaliar quais são as suas principais necessidades, pois isso irá determinar o sucesso de sua busca.

Condomínio comercial

Os condomínios comerciais, como o próprio nome diz, são destinados para fins comerciais e negociais. Assim, se você procura um local para estabelecer a sua empresa ou atender os seus clientes, esse é o tipo de condomínio que deve buscar.

É bom saber que esse tipo de condomínio também possui regulamentação própria, convencionada e legal, além de condições específicas determinadas pela natureza da atividade profissional que se pretende exercer.

São pontos importantes para se avaliar na busca de um condomínio comercial: a localização, as regras condominiais, a compatibilidade do exercício da sua atividade com a dos outros condôminos e a clientela associada ao ambiente.

apartamentos modernos

Reprodução: Pinterest

Tratando-se de uma vizinhança, como qualquer outra, é necessário que ela seja compatível com seus objetivos e necessidades negociais. Se o perfil da sua empresa é mais corporativo, busque um condomínio comercial que imprima os valores de sua empresa: afinal, ele será, literalmente, a sua fachada.

Condomínio misto

O condomínio misto é o que demanda maior trabalho e paciência por parte dos condôminos, pois, em se tratando de destinações diferentes (moradia e comércio), as necessidades visadas com a locação/compra do imóvel são diferentes.

Conheça bem quais atividades comerciais são praticadas antes de pensar em residir em um condomínio de uso misto, ou avalie as vantagens e desvantagens de estabelecer um negócio em uma área também residencial.

Tipos de condomínio: se surpreendeu?

Esperamos que o tema de tipos de condomínio tenha despertado a sua curiosidade no assunto para buscar novas informações.

Para não pecar nos detalhes, conhecimento é a palavra de ordem. Além disso, para fechar um negócio imobiliário, a busca por informações é fator determinante. Fique atento e escolha o melhor para você!

Postado por <brasilbrokers>
06 maio

Sabe aquele tipo de oportunidade que é melhor não deixar passar? Pois então, selecionamos os cinco principais indícios que informam que essa é a sua oportunidade para adquirir um imóvel com as melhores condições de mercado.

Entenda porque esse é um momento ímpar para investir em imóveis e não perca a chance. Depois não vale dizer que não avisamos, ok?

Sem mais delongas, vamos direto ao ponto: descubra os cinco sinais de que agora é o seu momento de comprar um imóvel!

Se você já tem o desejo de investir em imóveis ou se seu sonho é ter uma casa para chamar de sua, saiba que os indicativos são positivos e estão do seu lado para que faça a melhor escolha!

O setor imobiliário está vivendo um momento convidativo e especialistas apontam que a presente fase é a mais assertiva para aproveitar, na íntegra, todos as vantagens disponíveis.

Vamos te provar que, mesmo sem saber falar “economiquês”, é possível entender porque essa é a melhor fase para investir no mercado imobiliário e adquirir seu imóvel.

 

ESTABILIZAÇÃO DA TAXA SELIC

 

Você já deve ter ouvido falar da taxa SELIC, mas, será que sabe porque ela é um fator econômico tão importante? Pois bem, em termos mais teóricos, a taxa SELIC consiste na referência mínima de juros informada pelo Banco Central.

Essa taxa é determinada por um órgão governamental ligado ao Banco Central o Conselho de Política Monetária (COPOM). Aproximadamente a cada dois meses, os membros do COPOM decidem sobre o valor da taxa SELIC.

Na prática, essa taxa é utilizada como instrumento regulador de mercado pelo Banco Central. Por conta disso, é importante acompanhar a sua alta ou baixa, pois isso serve de referência para toda a economia do país.

Por ser a taxa básica utilizada como referência pelos bancos na aplicação de seus juros, a sua baixa tem influência nos valores de financiamentos realizados junto às instituições bancárias, por exemplo.

Mas, por que você, que quer comprar um imóvel, teria interesse nessa taxa?

Basicamente, com a SELIC em baixa, as condições de crédito, financiamentos e empréstimos, oferecidas pelas instituições bancárias tendem a ser, proporcionalmente, mais oportunas, haja vista tomá-la como referência.

Assim, o que te interessa é saber que, atualmente, se vive um momento histórico: em sua última reunião (março/2019), o COPOM promoveu a manutenção desse período de baixa determinando a taxa de 6,5%.

Além disso, a expectativa do mercado é a de que o órgão continue com a política de flexibilização monetária e, na próxima reunião (maio/2019), promova uma nova redução na taxa básica de juros.

Com esses valores, o mercado está se aquecendo e ganhando confiança.

MAIOR OFERTA DE EMPREGO

Não é novidade que o mercado está sempre ligado nos índices de emprego/desemprego. Esses são fatores imprescindíveis na determinação da demanda por produtos e serviços, além de informar às empresas sobre as condições que influenciarão na sua oferta.

Sabe-se que quanto maior a taxa de desemprego, maior será a queda na  demanda por bens e serviços. Isso acontece pois o consumo está diretamente relacionado com a percepção de renda: sem emprego, sem renda, sem consumo.

Como consequência do desemprego e de um estagnação econômica, também as empresas perdem seu poder de redução de preços e os consumidores dispostos a comprar são ferozmente disputados entre as concorrentes.

Assim, examinando a situação atual do nosso país percebe-se que, embora nos últimos anos as taxas de desemprego tenham alcançado níveis comprometedores, nota-se uma boa melhora desde o segundo semestre de 2018.

Conforme pesquisa realizada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), no mês de fevereiro, em relação ao saldo referente às contratações e demissões, o ano de 2019 já teve o melhor desempenho desde 2014.

Olhando para índices gerais, segundo essa pesquisa, não só o número de contratações subiu aumentando o número de empregados , mas também o saldo total entre demissões e admissões foi muito positivo, visto que as demissões também caíram.

Qual o cenário que esses indicativos informam? Uma maior possibilidade de compra e movimentação de recursos, aquecendo a economia.

O mercado imobiliário participa deste cenário e são feitas avaliações de que, em um breve período, as investidoras compreendam a melhora na economia como fator para alterar as condições de suas ofertas até então quase que promocionais, devido à crise.

Diante disso, é bom aproveitar as boas condições ofertadas pelo mercado imobiliário, antes que a melhora na situação econômica do país altere as circunstâncias das vendas.

DIMINUIÇÃO DOS ESTOQUES DE MERCADO

Em razão dos anos de crise, o setor de construção civil sofreu grande impacto. Grandes incorporadoras deixaram de lançar novos empreendimentos e os imóveis já prontos, em razão da pouca demanda, formaram estoques.

Entretanto, graças aos esforços e condições promocionais oferecidas pelas incorporadoras e uma melhora na economia, os estoques estão diminuindo. Mas ainda há interesse de liquidá-los.

São boas as perspectivas: pesquisa realizada pela Câmara Brasileira da Indústria e Construção (CBIC), aponta que o estoque de imóveis teve uma queda de 161,8 mil unidades, em 2016, para o valor de 143,9 mil, em 2017, e para 124 mil, no ano de 2018.

Além disso, também conforme dados da CBIC, a previsão é de que o lançamento e a venda de imóveis cresça entre 10% e 15% no ano de 2019, quando em comparação ao ano passado.

Assim, a tendência é pela normalização do setor, com a maior confiança por parte das investidoras para produção de novos empreendimentos.

Mas, ainda dá para aproveitar os imóveis prontos com melhores condições antes que os preços subam na mesma proporção que a confiança das incorporadoras.

Há de se considerar uma maior confiança na concessão de crédito, o aquecimento das vendas e o ambiente economicamente saudável que aos poucos ganha mais espaço.

FIM DA RETRAÇÃO DO MERCADO

Em razão de um cenário econômico e político periclitante nos últimos anos, os investimentos em construção civil haviam diminuído e os lançamentos foram paralisados também pela alta de estoques já mencionada.

Dá para perceber como tudo se relaciona quando o assunto é economia?

Hoje, graças às pretensas reformas políticas e econômicas, o mercado imobiliário já percebe melhoras em seus números e se mantém esperançoso para os próximos trimestres.

Espera-se que, a partir do segundo semestre de 2019, as vendas de imóveis aumentem e novos empreendimentos sejam lançados. Com isso, também é esperado um aumento nos valores das unidades vendidas, em razão de melhores condições econômicas e de possibilidade de compra dos brasileiros.

Os efeitos de um longo período em retração ainda reverberam, embora exista um panorama de progresso à vista, a economia ainda depende de reformas políticas, como a da previdência, para uma melhor previsão.

ÍNDICES DE MERCADO E PALAVRA DOS ESPECIALISTAS

Em São Paulo, pesquisa realizada pela Secovi (Sindicato da Habitação – São Paulo) sobre o mercado imobiliário, aponta crescimento considerável nas vendas de imóveis, quando comparado com 2018.

Segundo essa pesquisa, no período de março de 2018 a fevereiro de 2019, foram vendidas 30.587 unidades. Tal número registra um aumento de 20,7% das vendas, em relação ao mesmo período (acumulado de 12 meses) do ano anterior, que havia totalizado a venda de 25.349 unidades.

Além disso, em âmbito nacional, a Câmara Brasileira da Indústria e Construção (CBIC), em parceria com o SENAI, apresentou os “Indicadores Imobiliários Nacionais” referente ao 4º trimestre de 2018.

Neste estudo, feito em comparação ao trimestre anterior (terceiro trimestre de 2018), verificou-se um aumento nos lançamentos de novos empreendimentos imobiliários em 45,1%, além do aumento nas vendas de imóveis em 23,3%.

Também com índices positivos, considerando o período do ano de 2018, sabe-se que as vendas de imóveis aumentaram em 19,7%, quando relacionadas ao ano anterior (2017) no montante de 120.142 de unidades vendidas.

Nossa especialista da Brasil Brokers, afirma: “O mercado imobiliário se mostra otimista em 2019. Dessa forma, vemos que agora é a última oportunidade do cliente realmente conseguir uma negociação mais favorável, visto que no segundo semestre a tendência é que o preço do metro quadrado aumente.” Alessandra Wanek, Coordenadora da Brasil Brokers RJ.

Use essa dicas a seu favor e aproveite a situação do mercado!

A economia vive seus momentos e é importante saber aproveitar a oportunidade econômica que atenda aos seus interesses.

Assim, se você quer adquirir um imóvel, preste atenção no momento atual e entenda que o mercado, conforme as expectativas de indicativos e especialistas, está prestes a mudar de panorama.

Aproveite para comprar seu imóvel enquanto o aquecimento na economia não interfere nas boas condições de preço dos imóveis de empreendimentos já lançados.

No site da Brasil Brokers, você encontra as informações necessárias para fazer a melhor escolha e adquirir o imóvel que você tanto deseja. E o melhor: aproveitando o momento oportuno e as boas condições de mercado.

Consulte nossos corretores e avalie as melhores possibilidades de compra. Escolha já o seu imóvel e conte com a Brasil Brokers para te auxiliar nesse caminho!