Escolha a Cidade:

Postado por <brasilbrokersoficial>
24 nov

O mês de dezembro já bate à porta e você ainda não decorou sua casa para a data mais festejada do ano? Guirlandas, iluminações, bonecos, castiçais e bolas de vidro estão em alta, além da árvore de natal e do papai Noel, o grande astro da noite.

Para 2012, a tendência de decoração caracteriza-se na combinação de cores, texturas e estampas. Laranja, marrom, tons pastéis e as estampas em xadrez estão em alta. “Neste ano, a decoração ensaia uma volta à tradição, mas com tons bastante metalizados, como ouro velho, cobre e prata fosco, que dão um toque de sofisticação ao Natal”, é o que afirma Cecília Rima Braz, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Utilidades e Presentes.

 

Para a sala e a porta não faltam opções. Elas vão desde guirlandas de fuxico a almofadas e cachepôs customizados.

 

                                                                               

Mas se engana quem pensa que a decoração de natal para por aí. Se a recepção for na sua casa, aproveite para decorar o lavabo, a cozinha e mesmo os pratos que serão servidos durante a ceia. Os convidados vão adorar os mimos natalinos.

No lavabo, a criatividade não tem limite. Coloque quadrinhos, flores vermelhas ou toalhinhas e tapetes com o tema natalino.

 

 

Se a sua cozinha tiver uma decoração mais rústica ou se o local for uma fazenda, você pode utilizar panelas e cebolas para enfeitar esse espaço.

 

Quanto à comida, os aperitivos são ótimos para aguçar nossa criatividade. Azeitonas verdes, pretas, tomatinhos e as deliciosas cerejas sempre são bem-vindos e ainda compõem pratos nas cores da festa!

 

 

Lembre-se que o tradicional nunca sai de moda e a customização ganha cada vez mais adeptos. Aproveite os enfeites antigos e reforme-os agregando novos detalhes. Com certeza você vai arrasar!

 

Em Decoração
, , , , , , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
22 nov

A escolha do piso da casa ou do escritório se torna, muitas vezes, uma grande incógnita. Como saber se vai combinar com os móveis – que ainda serão comprados? Ou ainda com os que já têm e não quer trocar? Essa é a dúvida que persiste e acertar passa a ser uma loteria.

Já pensou em utilizar os pisos de madeira maciça? Eles são os mais requisitados atualmente por proporcionar conforto e beleza ao ambiente. Esse tipo de piso mantém a neutralidade do espaço e você consegue combiná-lo com quase tudo. Seguindo essa tendência, algumas empresas criam formas e cores diferenciadas para aumentar a oferta no mercado. As formas apresentadas no mercado são inúmeras, entre elas estão a pátina, o rústico ou ainda o estilo madeira de demolição. “Lançamos uma linha que passa por um processo manual e sua principal característica está no aspecto envelhecido, forte tendência em decoração de ambientes”, afirma Dimas Donizete Gonçalves, CEO da IndusParquet.

Em alguns casos, para o acabamento desses pisos são aplicadas camadas de verniz, o que garante a beleza e a durabilidade do produto e conserva sua aparência natural. Além disso, a ausência de solventes voláteis em sua composição minimizam os efeitos que agridem a natureza, pois não liberam gases tóxicos ao meio ambiente.

 

Conheça alguns tipos disponíveis no mercado:

Assoalho Multistrato com Pátina e Pátina Lavada: Com visual de madeira antiga, são tão resisitentes quanto os pisos lisos e mantém os atributos do tipo “Demolição”. Constituído de uma lamela de madeira maciça, colada sobre uma base de madeira também maciça, composta por materiais de aproveitamento de altíssima qualidade. Isto torna a exposição e tráfego adequados.

 

Foto: Divulgação

 

 

Assoalho Multistrato de Perobinha: Devido ao tratamento que a madeira recebe, encontra-se uma aliança harmônica entre o visual antigo e a madeira nobre de um piso novo.

Foto: Divulgação

 

 

Assoalho do tipo Demolição Peroba Mica: É uma opção sofisticada para casas. O seu diferencial está no fato de a madeira ser escovada para ganhar um aspecto de demolição e um visual de piso antigo.

 

Foto: Divulgação

 

 

Assoalho Perobinha Multistrato Customizado: Este modelo recebe tingimento integral o que o deixa mais escurecido. Leva esse nome por suas réguas serem exclusivas – elas apresentam ondulações e são tingidas manualmente nas laterais e na superfície.

 

Foto: Divulgação

 

 

Em Decoração
, , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
14 nov

 

foto: Bernd-Vogel Corbis

Sabia que você pode usar o saldo do seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS – na compra da casa própria ou ainda para amortizar o saldo devedor do financiamento do seu imóvel? O FGTS é um valor depositado pela sua empresa, numa conta da Caixa Econômica Federal. É um direito conquistado do trabalhador brasileiro.

O saque está vinculado a algumas regras, veja quais são:

– É necessário ter contribuído por ao menos três anos para o Fundo, mesmo que não sejam consecutivos;
– O imóvel não deve custar mais de R$ 500 mil;
– O comprador não pode ter nenhum financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) nem ser dono de outro imóvel, concluído ou em construção;
– O dinheiro tem que ser usado num imóvel na cidade em que o comprador mora;
– O recurso tem que ser aplicado na aquisição de um imóvel residencial, não pode ser comercial, não pode ser reforma ou ampliação e não pode ser terreno que não esteja vinculado à construção imediata de uma residência.

Mesmo cumpridos esses requisitos, se você já tem o dinheiro da entrada e quer usar o FGTS para amortizar, liquidar ou pagar parte do valor das prestações, a Caixa impõe algumas regras.

– O financiamento tem que estar no nome do trabalhador, e o contrato deve estar oficializado em cartório de registro de imóveis – como o nome de todos os envolvidos na compra;
– Para diminuir ou zerar o saldo devedor, é necessário estar com as prestações do financiamento em dia e não ter usado o FGTS para nenhum fim nos últimos dois anos;

Você pode ainda reduzir o valor de cada parcela em até 80%, num limite de 12 prestações consecutivas (pode-se incluir aí até três prestações em atraso). Ao fim de um ano, há a possibilidade de solicitar novamente o abatimento – e novamente com o limite de 12 mensalidades seguidas. O processo pode se repetir, sempre com novas consultas à Caixa, até que seja sacado todo o Fundo.

A Brasil Brokers e o banco HSBC mantém um acordo para facilitar o financiamento da casa própria dos seus clientes. Veja nas matérias abaixo como proceder para minimizar a burocracia na hora de pedir o financiamento:

A casa própria mais perto de você
 
 
Parceria Brasil Brokers e HSBC

 

 

Postado por <brasilbrokersoficial>
12 nov

 

Foto: Anderson Leal

Decorar a casa para o Natal realmente é uma delícia. Ainda mais quando temos crianças em casa. O clima fica leve, os pequenos adoram ajudar a montar a árvore e, desde então, ficam ansiosos pela tão sonhada noite em que o velho Noel vai deixar o presente no sapatinho.

A noite de Natal é, sem dúvida, uma das datas mais comemoradas no Brasil. Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, o Natal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos, sendo que alguns de seus costumes populares e temas comemorativos têm origens pré-cristãs ou seculares. Mas como surgiu essa festividade, você sabe?

Alguns relatos sugerem que o Natal surgiu como uma festa pagã que celebrava o dia mais curto do ano (25 de dezembro) e o “Novo Sol”. Com o crescente avanço do cristianismo, os líderes da época resolveram “converter” os pagãos e para não deixar a festividade morrer decretaram que dia 25 de dezembro seria dia do nascimento do deus-Sol, ou seja, dia do nascimento do filho de Deus. Assim surgia o Natal que nada mais é do que a velha festividade pagã de adoração ao Sol.

Outro símbolo muito usado por todas as famílias na festa é a árvore de Natal. Ela surgiu na Babilônia e segundo a lenda um pinheiro nasceu da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta. Isso simbolizava o desabrochar da morte para uma nova vida. E todo o ano o espírito que morreu deixaria presentes nela. Foi dessa maneira que se criou o habito de enfeitar a árvore no Natal e colocar os presentes embaixo dela.

Papai Noel na verdade é São Nicolau, um bispo romano que viveu no século V. Tudo começou quando o bispo ofereceu, escondido, dotes para a três filhas de um cristão empobrecido. Pronto, estava criado o ritual de dar presentes escondidos. Na verdade, o dia de São Nicolau é comemorado dia 6 de dezembro, mas acabou-se por se fundir com o Natal por causa da troca de presentes.

Com relação à decoração, a tradição de se enfeitar a sala ou a mesa com velas remete a um ritual pagão ainda feito atualmente. A vela acesa faz renascer o ritual do solstício e mantém vivo o deus sol.

O presépio é um altar para o deus pagão Baal, consagrado desde a Babilônia. Alguns dos símbolos remetem ainda ao culto do deus Sol; ele estimula a veneração de imagens e a idolatria. Já as músicas tiveram origem na era medieval quando famílias se reuniam para celebrar o nascimento do menino.

Agora, mãos à obra que você tem muito trabalho pela frente para deixar a sua casa no clima dessa data tão especial!

 

Fonte: blog Big Mãe

Em Decoração
, , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
05 nov

Primavera! Chegou a hora de guardar as roupas pesadas de inverno e voltar a usar as peças leves das estações mais quentes do ano. O primeiro passo é uma triagem para definir o que você não quer mais, o que deve ser guardado e o que vai usar durante o verão. Segundo Nelly Lopes, que é personal home organizer, se você não usou determinada peça nas últimas duas estações, não vai ser agora que vai passar a usá-la. O verão é a época mais propícia para se desfazer daquele volume que, na prática, não está mais sendo utilizado. “A gente só consegue fazer isso fora da estação de uso, porque dá para analisar as roupas com mais tranquilidade”, acredita Nelly.

 

Crédito: RCWW, Inc./Corbis

A roupa de inverno é alvo fácil de fungos, traças e ácaros. Sendo assim, é muito importante que ela seja lavada e armazenada de forma correta.

 

Como lavar

Couro: “Assim como a camurça, o couro requer muito cuidado já que ele não é amigo da água”, pontua Nelly. Couros e peles em geral não podem ser limpos com água e muito menos com pano úmido. “Se você quer armazenar o couro, só pode limpá-lo com vaselina e em pequenas quantidades. Qualquer contato com a água deixará manchas brancas. A vaselina pode ser líquida ou em creme, sendo a única forma de lavar o material”, enfatiza a personal home organizer Nelly Lopes de Oliveira. A origem animal do material pede contato com a luz solar. Existe uma proporção ideal para a manutenção das peças: “Nós sugerimos que, a cada seis meses de uso, elas sejam expostas durante 48 horas ao ar livre e sol”, diz Nelly.

Camurça: Especialistas são unânimes em indicar as lavanderias especializadas na hora de lavar as roupas de tecidos delicados. A camurça é um desses que, além de ser de difícil remoção de manchas, não gosta de água. “Existem sprays que fazem a assepsia, mas mesmo eles deixam manchas. Recomendo é encaminhar para uma lavanderia”, diz Nelly Lopes. A cada lavagem a camurça muda a tonalidade. Se tiver um conjunto de peças feito desse material, é melhor lavar sempre em conjunto. “A não ser que você queira fazer um tom sobre tom”. Na hora de guardar no armário, ressalta: “Todo cuidado é pouco, já que a traça e o cupim adoram comer isso”.

Roupa de cama: A personal home organizer Nelly Lopes ensina um passo a passo para lavar a roupa de cama. “Primeiro você tem que mandar para a lavanderia especializada, já que não pode centrifugar. Quando voltar, coloque no varal porque sempre volta um pouco úmida. E, para finalizar, passar e dobrar novamente para ficar bem guardado”, explica Oliveira, lembrando que os space bags são a melhor forma de armazenamento.

 

Lisa B./Corbis

 

Como guardar

Arejar: Os meses seguidos dentro do armário são um inimigo às peças de inverno.  O gerente de relações públicas da fabricante de enxovais MMartan, Armando Casulli, enumera: “Os principais vilões são a falta de ventilação, luz e limpeza. O acúmulo de poeira, suor e de pele descamada se tornam alimentos para os ácaros”. Arejar o ambiente e as peças guardadas é a solução. “Retirá-las do armário e deixá-las expostas ao sol da manhã reduzem a proliferação dos ácaros”, recomenda Casulli, ressaltando que os minúsculos aracnídeos são os principais responsáveis pelo mau cheiro, além de provocar problemas respiratórios.

Embalagens para armazenar: Um problema recorrente quando se trata de enxoval de inverno é o volume. Nelly Lopes de Oliveira, personal home organizer e gerente da Personal Houser, dá a dica para quem quer desfrutar de muito conforto na estação fria e, ao mesmo tempo, de espaço no armário: “Equacionamos isso com os space bags. São embalagens feitas de plástico, mas o diferencial é que retiramos todo o ar com o aspirador, o que diminui muito o volume ocupado”. O material previne contra mofo, ácaros e manchas. A especialista alerta para não guardar as roupas úmidas, o que compromete o tecido.

Roupas brancas: O especialista Armando Casulli indica um cuidado extra para armazenar as roupas brancas: “Elas devem ser acondicionadas em embalagens de plástico azul nas quais a incidência da luz, mesmo que artificial, seja evitada. Isso reduz as chances de as peças ficarem com marcas nas dobras”.

Roupa úmida: Este é um pecado capital no armazenamento do enxoval, tanto o de inverno quanto o de verão. “Roupa  guardada úmida é roupa perdida! Se estiver um pouco úmido, deixa do lado de fora até estar totalmente seco”, enfatiza a especialista Nelly Lopes. Tome o mesmo procedimento com roupas que estejam com qualquer cheiro. “Se tiver algum odor, até mesmo de perfume, coloque para lavar novamente e deixe arejando por um bom tempo”, ensina. Toda peça, continua ela, deve ser analisada com muita atenção antes de ir para o armário.

Calçados: São os que demandam mais trabalho independentemente da estação. Segundo Oliveira, a limpeza deve ser feita através de panos flanelados de microfibra, para os mais delicados, ou esponjas, para os mais robustos. O papel celofane é um grande aliado para não deformar os bicos. “O sapato tem que ser limpo por dentro e por fora, para tirar o suor. As flanelas são usadas para tirar o pó. O ideal mesmo é, sempre que utilizar, passar um pano para eliminar os resíduos e diminuir as chances de criar odor”, explica. Após limpar o sapato, deixe-o em espaço aberto com circulação de ar por um dia antes de retorná-lo à sapateira, que deve ser aberta, no mínimo, uma vez por semana para arejar.

Algodão: Assim como a lã, os casacos e blusas feitas de algodão mais pesados, como os casacos de moletom, devem ser guardados de modo a manter o formato original da peça. “Sempre fechando o zíper para guardar. Agindo assim, além de ocupar menos espaço, você estará aumentando a durabilidade da roupa. Se for no cabide, cabides iguais; nas gavetas, dobraduras iguais. Tudo para manter as roupas com um padrão”, destaca a especialista Nelly Lopes.

 

Fonte: www.organizesuavida.com.br

Em Dicas para o Lar
, , , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
01 nov

As janelas são ótimos espaços para colocar flores. Além de deixar a vista romântica, colorem e perfumam a casa!

Renault Philippe Hemis - Corbis

Cada flor exige um tempo de sol e o momento certo para regar . Observe durante alguns dias o período em que o sol bate, a quantidade de vento e se a chuva molha a planta. Você precisa dessas informações para decidir se a planta vai ser de sombra, meia sombra ou sol pleno. Isso também vai ajudar a definir a periodicidade da água. O tipo de vaso vai variar com o tamanho da planta e também com o espaço que você tem disponível.

O que plantar

Até 4h diárias de sol: Flores de pétalas finas e arbustos de folhas delicadas são resistentes ao sol pleno.
Tipos de plantas: Rosa, jasmim, hortelã, alecrim, girassol, orégano, salsinha, manjericão
Rega: três vezes por semana

De 2 a 4h de sol: Como a quantidade de sol é maior, as plantas merecem cuidado especial. As folhas não podem estar molhadas enquanto estiverem pegando sol, pois podem ser queimadas pelos raios. O recomendado é que sejam regadas no fim da tarde.
Tipos de plantas: Antúrio, lanterna japonesa, camarãozinho, brinco-de-princesa
Rega: Uma ou duas vezes por semana

Menos de 2h de sol: mantenha sempre a terra úmida, mas sem encharcá-las. O ideal para elas é um local bem ventilado, mas úmido e quente.
Tipos de plantas: Bromélia, samambaia, renda-portuguesa, maria-sem-vergonha
Rega: Três vezes por semana

Muito vento diariamente: Bloqueie o vento excessivo instalando cercas de madeira nas laterais da janela e plante nelas espécies de trepadeiras, que são charmosas e ajudam a manter a privacidade do seu lar.
Tipos de plantas: Hera, cheflera, lambari, singônio, grama amendoim
Rega: Varia de acordo com a espécie escolhida 

Sean-Malyon / Corbis

 

Como preparar o vaso

1. Deve ter furos no fundo, para que escorra o excesso de água. Os de plástico retêm umidade e os de barro são mais arejados.

2. Use cacos de telha ou pedras para fazer uma camada de cinco centímetros no fundo do vaso. Isso permite que a água passe e impede que a terra saia pelos furinhos.

3. Misture terra vegetal e composto orgânico em partes iguais e coloque no vaso, fazendo uma cova para receber a muda.

4. Tire a planta do saquinho em que ela vem, tomando cuidado para não mexer muito nas raízes. Ela sairá mais fácil se estiver com a terra úmida. Uma dica é mergulhar o saquinho num balde por alguns minutos para facilitar a retirada da muda.

5. Centralize a planta no vaso e envolva o torrão de raízes deixando a terra um ou dois centímetros mais baixa que a borda do vaso. Isso evita que ela transborde a cada rega ou chuva.

6. Evite colocar pedriscos sobre a terra das espécies que ficam no sol direto – isso impedirá que a água evapore, deixando as raízes “cozidas”.

Em Paisagismo
, , , ,