Escolha a Cidade:

Voltar para home.
Postado por <brasilbrokersoficial>
14 jan

O Senado Federal está analisando um projeto de lei que incentiva condomínios residenciais, comerciais e prédios públicos a implementar sistemas de coleta, armazenamento e uso de águas pluviais. O projeto prevê a diminuição de 50% na taxa do serviço público de drenagem pluvial urbana para os edifícios e casas que tiverem sistema de captação de água da chuva.

Caso passe pelo Senado, a nova lei vai propor também a criação de programas que estimulam a adoção de medidas para acabar com vazamentos na rede de abastecimento, e a instalação de dispositivos como bacias sanitárias de volume reduzido de descarga.

Mesmo com o tema ainda em debate, várias construtoras pelo país já adotam este tipo de medidas nos seus novos empreendimentos. Para a diretora de Marketing da Abyara Brokers, Paola Alambert, toda iniciativa em prol da sustentabilidade é válida e conta pontos positivos à imagem da construtora junto público final. “É muito importante que medidas como o reuso de águas pluviais sejam adotadas. Qualquer coisa que evite o desperdício será bem-vinda”, comenta a executiva.

Na opinião de Mario Amorim, diretor geral da Brasil Brokers no Rio de Janeiro, a utilização de recursos para captar a água da chuva é uma tendência nos novos projetos. “O mercado como um todo apóia essa iniciativa que só traz benefícios, como a economia que os condomínios terão com a conta de água, por exemplo”, conta Amorim.

 

O projeto do empreendimento Outside, da construtora carioca Leduca, possui sistema para a coleta de águas pluviais. As unidades estão sendo comercializadas pela Brasil Brokers no Rio de Janeiro.

 

Em São Caetano do Sul (SP), o projeto do empreendimento comercial SAO International Square, da Gafisa, também contará com sistema para reuso das águas das chuvas. As unidades estão sendo vendidas pela Abyara Brokers.

 

Em dicas para o lar
, , ,

Comentário: Nenhum comentário

Deixe seu recado