Escolha a Cidade:

Postado por <brasilbrokers>
17 nov

Ele é o protagonista da sua sala, responsável l não só por ser o ponto chave da décor, mas também por agregar conforto ao seu espaço. A seguir você confere um passo a passo para que fizemos para te orientar a escolher o sofá ideal para sua sala. Para ajudar, listamos cinco pontos que não podem passar batidos no processo de escolha do sofá ideal. Confira !

1-Atenção nas medidas da sua sala

Este primeiro passo é essencial para não cair na tentação de comprar um sofá grande demais ou pequeno demais para o espaço. Meça a sua sala e compare com o tamanho da sua sala, e não esqueça de levar as medidas na loja. Assim será mais fácil encontrar um sofá que seja adequado ao seu ambiente

2-Calcule o tamanho

Com as paredes da sala medidas, você vai ter uma noção do tamanho do sofá. Se a maior das paredes tiver menos de 2,5 metros, o ideal é um sofá de dois lugares. Se ela for superior a 2,6 metros, o sofá pode ser de três lugares ou mais. O ideal é que ele tenha cerca de 90 cm de largura para que o conforto não seja prejudicado.

3-Modelo ideal

Para salas compactas, é aconselhável escolher um modelo sem braço para otimizar o espaço, já que cada braço do sofá pode ocupar até 30 cm. Ao escolher um modelo sem braço, você integra e amplia mais o espaço, mas nada impede que um modelo com braço seja usado. Caso você opte por ele, o ideal é escolher um sofá de dimensões mais reduzidas.

4-Cor ideal

Por muito tempo o bege foi considerado a cor coringa do sofá da sala. Hoje, no entanto, tonalidades cinza e azul disputam o pódio com ele. Escolher um sofá em uma cor mais neutra é a melhor opção no quesito durabilidade. Cuidado com paredes coloridas ao escolher cores fortes, elas podem destoar ou não combinar com o ambiente.

5-Tecido

Para a escolha do tecido , a definição do uso principal do sofá também é primordial. Se ele for usado para a sala de TV, é interessante um tecido de algodão para garantir o conforto ou mesmo de couro, que garante a praticidade. Para receber as visitas, linho e o próprio couro também são bem-vindos.

Em Decoração
, , , , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
31 maio

Segundo matéria publicada essa semana no especial imobiliário do Valor Econômico, o estado de São Paulo conta com 130 mil profissionais, dos quais 13 mil estão na capital. Segundo dados do Conselho Federal do Corretor de Imóveis (Cofeci) os corretores somam 285 mil no país e nos últimos cinco anos houve crescimento de 80%.

Andréa Granja, gerente de recursos humanos da Brasil Brokers, explica que a mão de obra ficou mais escassa por conta do “boom” do mercado. Em contrapartida, aqueles que se identificam com vendas passaram a buscar qualificação, procurando sobretudo empresas que dão esse suporte.

Segundo especialistas no mercado, jovens também começam a se interessar por essa profissão.  A Brasil Brokers começou a perceber, há cerca de três anos, um interesse grande por parte de profissionais que começam a escolher o mercado imobiliário como profissão, relata Andréa. “Com idade entre 26 anos e 45 anos, eles estão interessados em desenvolver uma carreira, e isso é uma novidade. Alguns ainda estão fazendo faculdade e outros já se formaram.”, complementa.

Alguns profissionais tem um interesse maior por essa área, que é o caso dos advogados, segundo Andrea, na Brasil Brokers essa tendência se confirma.

Crédito: Vanis Sweets

Em todo o país a Brasil Brokers conta com mil corretores credenciados, desse total, 44% têm curso superior. O que se percebesse também é diferença entre homens e mulheres, na Brasil Brokers 65% dos corretores são homens e 35% mulheres. “Hoje, temos muitas mulheres e jovens que procuram a faculdade de gestão imobiliária, buscam se qualificar para entrar num mercado promissor, mas competitivo”, diz Granja.

Os requisitos para o sucesso vão além do tino de vendedor. É preciso proatividade, persuasão, perseverança, foco em resultado, boa comunicação, ética e credibilidade, diz a gerente. De acordo com especialistas o perfil dos corretores mudou muito, estão cada vez mais especializados e procurando essa profissão como carreira.  “O corretor mudou substancialmente, uma década atrás os corretores apenas tiravam pedido, a participação das mulheres girava em torno de 10 a 15%, a idade se concentrava entre 40 e 50 anos e quase não havia profissionais com nível superior”, complementa Andréa.

** Matéria publicada no jornal Valor Econômico no dia 29/05

Em Mercado Imobiliário
, ,