Escolha a Cidade:

Postado por <brasilbrokersoficial>
17 mar

Muitos desejam morar de frente para um lindo lago ou com vista para o mar. Mas que tal morar sobre esses lugares? Como? Simples: escolhendo uma casa flutuante. Essa já é uma realidade em países como Dinamarca e Estônia, por exemplo, que chegam a cobrar dos moradores uma taxa municipal para que a residência possa atracar em águas públicas.

No Brasil isso ainda é uma novidade. Mas uma empresa portuguesa promete mudar isso. Ela trará ao país, durante o Rio Boat Show 2015, no Rio de Janeiro, uma casa flutuante pré-fabricada, modular, com mobilidade, autonomia plena para uma semana de estadia. O tamanho da residência pode variar de 28 a 52 m² e a planta inclui salão, cozinha, um ou dois banheiros, até três quartos, adega, terraço e solário. A casa fica apoiada em uma plataforma com área de até 108 m².

Um ponto positivo da casa é que ela tem uma grande autonomia energética e ambiental. Possui um conjunto de painéis solares e é equipada também com uma mini estação de tratamento de águas residuais.

A casa pode ficar atracada a um cais ou também fundeada. Para o deslocamento até solo firme, o “imóvel” já vem com bote com motor elétrico.

Perspectiva da casa flutuante que estará exposta em evento náutico no Rio de Janeiro. Crédito: Divulgação.

Perspectiva da casa flutuante que estará exposta em evento náutico no Rio de Janeiro. Crédito: Divulgação.

Em Inovação
, , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
08 nov

Quando se está para realizar o projeto de uma vida, a compra de um imóvel, muitas dúvidas surgem na cabeça do futuro comprador.  Localização, o preço, proximidade do trabalho são alguns dos itens que deixam o cliente em busca de respostas. Mas o que mais pesa mesmo é se ele deve comprar um imóvel novo ou pronto. E isso vai depender do que se julga como prioridade e necessidade. Para ajudar com essa questão, o blog da Brasil Brokers conversou com dois executivos da empresa para contar as vantagens de cada tipo de imóvel.

De acordo com Mario Amorim, diretor geral da Brasil Brokers no Rio de Janeiro, os novos vêm com uma concepção toda voltada para o lazer da família, que é o condomínio clube. A área de lazer aumentou nos novos empreendimentos e passou a incluir itens como brinquedoteca, parque aquático, espaço gourmet, bosques e academia. ”Os apartamentos já vêm com as tomadas e outros equipamentos elétricos e hidráulicos no padrão das novas normas de segurança, sem contar que todas as unidades têm direito à vaga na garagem”, conta Amorim.

Já o diretor de imóveis prontos do Grupo Brasil Brokers, Josué Madeira, explica que, se a pessoa tem uma pressa para comprar um apartamento, a melhor opção é o usado. O executivo diz que esse tipo de imóvel costuma ter, em geral, os cômodos mais espaçosos. “Para uma aquisição, o preço de um usado costuma ser mais em conta. Quando o novo proprietário decide fazer uma reforma para deixá-lo mais ao seu gosto, o custo total da obra ainda o deixa o imóvel com um custo acessível”, avalia Madeira comentando que em algumas regiões das grandes metrópoles quase não é possível comprar um imóvel novo devido à falta de terreno para se construir.

Agora que você leu algumas das vantagens dos dois tipos de imóveis, terá mais subsídios para definir o que melhor se encaixa às suas necessidades. E certamente a Brasil Brokers terá o imóvel que você busca. Conte com a gente.

Imagem: © Dan Pangbourne/Image Source/Corbis

Em Mercado Imobiliário
, , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
07 fev

Está pensando em adquirir um imóvel? Então tenha em mente que é necessário estabelecer alguns critérios que devem ser levados em consideração e que ajudam e muito antes de efetuar uma compra.

De acordo com Paola Alambert, diretora de Marketing da Abyara Brokers — uma das imobiliárias do Grupo Brasil Brokers em São Paulo —, definir a região que se deseja comprar é o primeiro passo. “A localização do imóvel é importante para a boa qualidade de vida que o comprador virá a ter. Ele deve avaliar a infraestrutura do bairro, o trânsito, os serviços disponíveis nas redondezas, se possui boas escolas e parques, além de se identificar com a localidade e gostar dela”, explica Paola.

Em segundo lugar, vem a questão do tamanho do imóvel, seja ele um pronto ou um novo. Para ela, deve-se ponderar questões como, por exemplo, se a família vai crescer e em quanto tempo isso deve ocorrer. “Ao perceber que o tamanho do imóvel não lhe é favorável, mudar logo em seguida fica mais complicado”, comenta.

Crédito: © Kate Kunz/Corbis

E por fim, o quanto se pensa em gastar com a compra do imóvel. Este é outro ponto fundamental. Paola lembra que também seja o imóvel novo ou pronto , o comprador vai ter que ter um dinheiro extra para fazer alguma obra necessária, no caso do imóvel pronto, ou para montar o apartamento, que em muitos casos nos novos é entregue sem pisos, armários, box, luminárias, entre outros itens. “Pesquisar as linhas de crédito imobiliário e o quanto de prestação terá capacidade de quitar ajuda a dar esse fôlego com o dinheiro para montar o imóvel”, diz. Nas imobiliárias da Brasil Brokers, o crédito imobiliário está disponível em parceria com o HSBC.

Em Mercado Imobiliário
, , , , ,