Escolha a Cidade:

Postado por <brasilbrokersoficial>
06 jan

É cada vez maior no Brasil o número de edifícios comerciais com certificados verdes. Nos últimos cinco anos ocorreu um salto de 20 para 497 empreendimentos com chancela de selo sustentável. De acordo com matéria publicada pelo jornal Brasil Econômico, isso é reflexo de uma demanda cada vez maior do mercado. Duas certificações atuam hoje no país: a Leadership in Energy and Environmental Design (Leed) e a Alta Qualidade Ambiental (Aqua-HQE).

Ainda segundo a reportagem, o aumento de profissionais com experiência em projetar e construir edifícios sustentáveis e o avanço da produção nacional de materiais para viabilizar essas obras diminuiu o custo extra da concepção dos prédios. Como consequência direta, alavancou este segmento da construção civil no Brasil. Atualmente a maioria dos projetos de edifícios corporativos em São Paulo e no Rio de Janeiro, são concebidos seguindo princípios sustentáveis, uma vez que os prédios detentores de selos específicos de sustentabilidade oferecem maior retorno financeiro aos investidores e aos operadores.

De acordo com especialistas, a difusão de informação sobre a prática foi essencial para que se houvesse a redução do custo dos projetos. Com a recorrente apresentação de cases de sucesso ao mercado, muitos profissionais da área se interessaram pelo tema e foram buscar capacitação. Para eles, um dos desafios do mercado para a manutenção do crescimento é incentivar a demanda dos selos também no segmento doméstico.

Prédios detentores de selos específicos de sustentabilidade oferecem maior retorno financeiro aos investidores e aos operadores. Crédito: © George Hammerstein /Corbis

Prédios detentores de selos específicos de sustentabilidade oferecem maior retorno financeiro aos investidores e aos operadores. Crédito: © George Hammerstein /Corbis

Em Mercado Imobiliário
, , , , , ,
Postado por <brasilbrokersoficial>
01 ago

Uma cidade que se reinventa. Assim pode ser definida Nova Iorque, nos Estados Unidos. Construtoras locais estão transformando antigas garagens, fábricas e até prédios religiosos em edifícios residenciais de alto padrão. Esse movimento acontece porque os terrenos são escassos, vários bairros estão tombados, algumas estruturas antigas são bem maiores do que o permitido hoje por leis de zoneamento.

Com a dificuldade em se realizar novas construções, a adequação do espaço para reutilização se tornou o caminho mais rápido. E o mercado imobiliário percebeu isso tanto que até o fim de junho passado, o departamento municipal de obras expediu 28 alvarás de construção em Manhattan. No mesmo período avaliado, o mesmo órgão da prefeitura também liberou 28 alvarás específicos para reforma de imóveis para outra finalidade, como a transformação de uma fábrica em residência.  

Um bom exemplo desse movimento é o prédio da empresa de telefonia Verizon, que fica em frente ao One World Trade Center. O edifício de 31 andares, em estilo art deco, está sendo remodelado para abrigar apartamentos de um a cinco dormitórios num projeto chamado Barclay Square. O nome é uma referência ao novo endereço que será 100 Barclay Street, que terá uma nova entrada construída fora da área de carga e descarga, na rua ao lado da portaria original. Os imóveis serão vendidos a partir de setembro. 

Uma das vistas do prédio da Verizon, que terá parte revertida para a construção de apartamentos de um a cinco dormitórios. Crédito: Internet.

Uma das vistas do prédio da Verizon, que terá parte revertida para a construção de apartamentos de um a cinco dormitórios. Crédito: Internet.

Em Mercado Imobiliário
, , , ,